Carta de esclarecimento dos escaladores resgatados no Pico Maior

Estávamos em um grupo de 5 escaladores experientes na via Face Leste do Pico Maior, no PETP e já conheciamos a via. Em um determinado trecho da escalada, já a apenas 80 metros do cume e mais de 600 metros da base, ocorreu a queda de aproximadamente 7 metros. Este trecho é feito usando uma técnica chamada artificial, onde se usam proteções pré fixadas a rocha. Uma destas se soltou provocando a queda de um dos escaladores, que foi segurado pelas outras proteções abaixo. Com essa queda, ele fraturou um osso da canela e teve alguns cortes na mão. Os primeiros socorros foram feitos pelos próprios escaladores no local da queda, pois tinhamos um kit. Após avaliar a situação, entramos em contato com os bombeiros, que após sobrevôo confirmaram a impossibilidade de resgate naquele momento e local devido a rajadas de vento. Decidimos em conjunto seguir para o cume, onde seria mais seguro o pernoite e facilitaria o resgate pela aeronave no dia seguinte. Apesar de muito frio, estávamos todos agasalhados, com água, alimentos,  medicamentos e radios de comunicação. Já tinhamos a confirmação do resgate as 6h do dia seguinte, o que tranquilizou o grupo, somado ao contato que tinhamos via rádio com outros escaladores que estavam na base da montanha prontos para um possível, porém difícil resgate terrestre. No horario previsto a aeronave realizou o resgate com sucesso, devido as boas condições do tempo e experiencia dos bombeiros. Gostaríamos de agradecer ao GOA, CBMERJ, aos guarda-parque do PETP, ao CEF e a comunidade escaladora, que juntaram esforços para que tudo terminasse bem.

Leave a Comment